29 dezembro, 2010

Quando a coisa muda de figura...

Férias à vista!!! Cheguei no final do segundo tempo e já estou com a língua de fora.... Não sei se pela idade , se desacostumei com o ritmo tão acelerado, se eu é que sou uma molenga ou se a escola que agora estou trabalhando, possui uma demanda bem maior do que as que já atuei..... Não sei. A verdade é que agora quero mais é aproveitar meus trinta dias em casa.

Marido ficou conosco vinte e quatro dias. Parece que o tempo voou. Em ritmo de término letivo com muitos documentos para finalizar, estive trabalhando até o dia 23 de dezembro e quase não conseguimos nos ver. O pouco que conversamos, relembramos momentos únicos, vividos em família na gelada Suécia. Assim como eu, está um pouco assustado com as notícias , com o "barulho" e movimento desenfreado dos diferentes locais, com o caos urbano, com o que presenciamos nas ruas em busca das pessoas pelo TER, TER e TER.... Ainda mais nesta época do ano.

Aprendemos com o tempo e sentimos que amadurecemos com a dureza de um País, em que a educação das pessoas é seu maior BEM. Em que o SER ultrapassa e derruba qualquer sentimento mesquinho.

Estamos em casa agora, até então ficamos com minha mãe. Tudo começa a tomar forma. As meninas estão felizes por estarem no seu quartinho de volta e brincarem como faziam. Passamos o Natal com parte da família já que a outra viaja aos EUA para acudir meu irmão que acaba de ganhar mais um filho.

Amanhã, marido volta para o inverno da Suécia depois de aproveitar parte do nosso abafado verão. Passaremos de Ano apenas nós três: Eu , Laurinha e Bia. Da sacada do apartamento, aguardaremos a oportunidade de SERMOS melhores em 2011.....

Desejo a todos um 2011 cheio de paz, prosperidade, alegrias e realizações...
...e, não esqueça, o mundo ao seu redor apenas reflete o que você é!
Forte abraço,
Françoise

26 dezembro, 2010

Feliz Natal!!!


Passo para desejar um excelente e abençoado Natal!


Que o Menino Jesus possa nascer no coração de todos vocês, fazendo renascer o AMOR, A SAÚDE, A PAZ E HARMONIA necessária para um Novo Ano que inicia.


À todos os meus amigos blogueiros, que registro a seguir como a Tati, Beth, Isa, She, Glorinha, Alexandre, Nilce, Sonia, Lúcia, Socorro, Giovana, Astrid, Lu Souza, Kamyla, Açuti, Cíntia, e muitos outros que por aqui continuam passando e me deixando carinhosos recados, só tenho a agradecer por tanto carinho e por tudo que continuam representando em minha vida. Me perdoem por tamanha displicência e por não conseguir retribuir o carinho que tanto merecem.

Forte abraço,

Com saudades,

Françoise

28 outubro, 2010

...o tempo passa, o tempo voa!


Queridos amigos,


Hoje fez 1 mês que chegamos ao Brasil. Nem posso me desculpar novamente pela minha ausência, pois não estou conseguindo garantir minha presença sistemática por aqui. Fico imensamente feliz com os amigos que continuam me visitando e que de mim não se esqueceram.

Mesmo sem conseguir postar , estou aos pouquinhos visitando cada cantinho para matar a saudade que ficou, do tempo em que a calmaria se fez presente.

Prometi a mim mesma que faria uma coisa de cada vez como escrevi no penúltimo post. Quero estar no Brasil vivendo no sossego de Lund, mesmo que o relógio não pare e a agenda aponte milhões de tarefas para o dia.

Amo meu trabalho, mas ele me consome e me suga todas as energias. Quando chego em casa no final da tarde, quero curtir e acompanhar as tagarelices das minhas pequenas que tem muito o que contar com a minha ausência. Depois disso, um bom banho é essencial para me refazer para um novo dia que se inicia.

Beatriz agarradinha com primo e com os amigos na escola, em seu primeiro dia de aula...(30/set/2010)
Feliz da vida!!!

O que importa é que estamos bem. Passeando e ainda curtindo muito a família. Beatriz e Laura então, não conseguem esconder tamanha alegria de estar com os primos, avós e amigos da escola novamente. Na ausência do pai, dormimos as três, bem agarradinhas contando carneirinhos, para lembrar dos dias que faltam para abraçá-lo fortemente.

Laurinha recebendo o autógrafo no livro de Lázaro Ramos (A vaca sentada), adquirido por nós na Feira do Empreendedor em nossa cidade.

Lembro-me saudosamente do quanto re-aprendi a amar na Suécia. Então , viver agora faz toda a diferença. Cada segundo parece ganhar um novo sentido, um novo cheiro e sabor. Meus olhos já não parecem o mesmo, o que vejo e conheço também. As pessoas não só as pessoas, assim como os objetos e tudo que me rodeia. O Brasil tomou outra forma.

É prazerosa esta sensação. Ao mesmo tempo que triste e utópica.

Saudades de todos vocês.... e de alguns momentos da vida....
Abraços,
Françoise

27 outubro, 2010

Parabéns, Tati!!!

Minha querida e doce amiga Tati,



Hoje é o seu dia e a alegria de tê-la como amiga É MINHA!!!! Comemoro hoje, mais um ano de sua vida (e quanta vida), agradecendo e pedindo em minhas oracões, pela sua saúde, pelos seus sonhos e por tudo que se passa em seu coração.

Lembro com imensa saudade, ainda na Suécia, do dia em que fui ao seu Blog pela primeira vez, ao participar da blogagem coletiva das cores, e li sobre a novela com a Faber Castell, descrita por você com muito humor...

Foi amor a primeira vista. Pelo texto, pela escolha das palavras, pela maneira humorada e descolada de possuir a escrita com tamanha beleza. Jeito sábio e próprio, único de quem possui a habilidade e competência de encantar seu leitor e conquistar amigos.

Te admiro pela maneira de ser. Mulher forte, sincera, doce. Esposa, MÃE, filha, FAMÍLIA, amiga...... coração de criança e de guerreira. Ri de si mesma, brinca na chuva, constrói lindos castelos na areia e quando a água os leva, você mesma , com seu jeito criativo e esperançoso, os transforma em fortes palácios.

Quero que saiba, que mesmo tão displicente com meu blog, tenho sempre você em meu coração. Não sei se será desta vez que poderemos nos encontrar, mas receba aí agora, o meu FORTE E CARINHOSO ABRACO.

Aproveite o seu dia!!!!!
Fran.

06 outubro, 2010

Mando notícias do lado de cá!


Olá amigos,


....observando, aos poucos chegamos lá.

Desculpem pela demora. Mas tudo ainda parece um pouco estranho, diferente e agitado demais para nós que estávamos acostumados com o silêncio de Lund. Aqui dentro, muitas coisas voltam a se encaixar aos poucos, encontrando sentido para iniciar um novo ciclo.

Posso dizer que estamos bem. Fizemos uma ótima e tranquila viagem e apesar da preocupação com a quantidade de malas, duas crianças, um carrinho de bebê e bolsas de mão, tudo foi superado com êxito.

Já estamos em clima brasileiro; respirando o sol, curtindo o calor, vestindo roupas leves e sandálias nos pés que precisaram de um trato assim como os cabelos que estavam em condições precárias pelo frio excessivo.

Já retornei ao trabalho, as meninas à escola, com a diferença que o tempo "aqui dentro" precisará caminhar mais lentamente, sem stress e agressão ao corpo. Estamos as três, curtindo casa e colo de mãe e pai(para mim) e avós (para elas), revendo amigos e aproveitando a família.

Daqui pra frente, é Brasil em ritmo sueco.

À todos, que me deixaram recados carinhosos no último post, agradeço de coração.
Forte abraço!
Françoise

25 setembro, 2010

Conversas na cozinha...(5)

Estamos felizes por retornar ao Brasil. Beatriz e Laura não disfaraçam em nada. A ansiedade é tamanha que até dor de barriga tiveram. Ontem , no último dia de aula aqui na Suécia, despediram-se dos coleguinhas e das professoras e foi em mim que o nó na garganta brotou.

Bandeira do Brasil pintada por Laura na escola.
Tema de estudo : "Quem sou eu", tão bem aprendido por ela nestes dias de despedida.


Este semestre, elas estavam muito bem na escola. Inclusive a Beatriz que no início, apresentou dificuldades de adaptação. Estava falando (um pouco) e compreendendo o inglês durante as aulas, resignificando o conteúdo a ponto de chegar em casa, me contando tudo que aprendera. E o melhor: sempre muito feliz e satisfeita. A Laurinha então…. aprendeu com maior facilidade fazendo um bom uso da língua. Outro dia, na saída da aula, conversou com a professora para contar-lhe de um ocorrido com um coleguinha de sala com tranquilidade e graça (e que graça, rs….). Eu babei!



Cartão da turma,
entregue à Beatriz em seu último dia de aula.

A cada cantinho em que vamos nestes últimos dias, aproveitamos ao máximo querendo como que sugar o cheiro, as cores e o jeito do lugar, como forma de memorizar o que agora não teremos mais. Tudo parece ter mais sentido. Um misto de sensações e imagens mentais.

Por que tem que ser assim? Por que tudo passa a ter mais valor, quando perdemos ou nos distanciamos? Sei que quando chegar ao Brasil , todos os momentos vividos aqui, parecerão mais intensos, mais significativos apesar de algumas dificuldades enfrentadas no caminho. Tudo parecia tão irrelevante se comparado com a dimensão da experiência que iria viver....



Desenho da Bia que encontrei na pasta de
atividades recebidas da escola ontem.

A partir desta viagem, sinto que sou mais capaz, de me desapegar e assentar em outro lado qualquer. O fascínio por outras culturas, fez-me acreditar que mudar é preciso. É um desperdício, o imenso espaço que temos disponível para conhecer e hoje, vejo que pra mim este é um privilégio que não posso deixar de celebrar.




No caderno de atividades da escola,
Laura adorava desenhar a família.
FAMÍLIA: Tudo o que vivemos aqui.....

Passou rápido o tempo, mais do que eu pude assimilar, talvez por esse mau relacionamento que passei com a adaptação. Mas agora é diferente. É provável que sinta saudades bem rápido. É claro que sim!



19 setembro, 2010

Minha última parada...


Conhecer Paris para mim foi,

Chegar ao país de trem,

Andar de metrô e a pé por diferentes linhas para conhecer a cidade e os encantos culturais que ali habitam,


Metrô , Paris.

Fazer piqueniques no quarto do hotel,

Caminhar a pé, 4 km pela Champs Elysées , parando para saborear um crepe no meio do caminho,



Champs Elysées, Paris.

Visitar grandes lojas e marcas, olhar com os olhos e lamber com a testa, rs....




Conhecer o Arco do Triunfo,




Admirar e contemplar o sol com uma parada no Jardim de Tuileries,



Jardim de Tuileries, Paris


Visitar o Museu do Louvre podendo reviver a história numa das maiores mostras do mundo de arte e cultura,



Apartamentos de Napoleão, Louvre.


Museu do Louvre, Paris.

Monalisa, Leonardo da Vinci.


Navegar pelo rio Sena, ouvindo música clássica e admirando as lindas pontes e arquiteturas de Paris,


Tomar capuccino e comer macarrons,

Conhecer Notre Dame, uma das mais antigas catedrais francesas,


Catedral de Notre Dame

Me emocionar ao me aproximar da Torre Eiffel de dia e a noite ,



Subir no topo da Torre e avistar Paris panoramicamente.



Finalizar a visita conhecendo a Capela de Nossa Senhora da medalha milagrosa,
coisa que tanto queria fazer,





Ah, já ia me esquecendo, rs...

Namorar, namorar e namorar!!!!

18 setembro, 2010

Minha estória de um final feliz com a Glorinha!!!!


Sou novinha neste mundo dos blogs, e por uma amiga da Suécia, conheci o Café com bolo que iniciava uma blogagem coletiva intitulada de "Colorindo a Vida". Eu muito xereta, que mal sabia mexer nas configurações do blog, meti os pés pelas mãos e tratei logo de me oferecer para participar da Blogagem. Me sentia muito só aqui nesta fria Suécia e era exatamente o blog que me deixava um pouco mais animada. Mas continuava só, pois poucos me visitavam, então escrevia mais para a famíia que timidamente lia meus posts sem manifestação alguma. E esta era minha primeira intenção. Nunca esperei que no mundo virtual eu pudesse encontrar amigos de verdade.

Porém , mesmo me oferecendo por mais de uma vez, nos comentários que fazia em seu blog, nenhuma resposta eu obtinha. Na minha santa ignorância, ela não havia gostado de mim, meu blog era novinho e eu não poderia fazer parte do seu privilegiado círculo de amizades. E o mais estranho eu achava , é que nem ao menos um comentário dizendo não me aceitar, ela respondia em meu blog. Eu não esperava nada, nem conhecia direito esta "coisa" de seguidores, não queria fazer propaganda nenhuma. Pelo contrário, estava ainda muito tímida e assustada, produzindo alguns pequenos posts pois tinha medo do que poderiam pensar de mim. Affff!!!!

Pois é, não havia resposta nenhuma mas mesmo assim criei um post na cor rosa, acho que a segunda das cores sugeridas por ela. E não é que no dia 5 de abril, quando abro o Café com Bolo para acompanhar na minha solidão, a Brincadeira do Colorindo a Vida, nada mais , nada menos que um post pra mim. Ahhhhh, mas eu chorei, chorei e chorei de tristeza, rs..... Liguei pro marido apavorada e muito angustiada pois havia postado algumas fotos das minhas filhas e minha preocupação era com isso.

Eu, na minha santa ignorância, deixei na configuração do blog, o contéudo adulto e mal sabia que criaria tanta confusão. E insisti por que realmente gostei dela de cara. Fui lá, escrevi um comentário e olhem o que ela me escreveu....


Françoise, não sei nem o que te dizer pra vc me perdoar! Mas EU NÃO TIVE CULPA!
Aparecia isso, seu marido viu...eu tentei entrar 3 vezes e nas 3 aparecia isso...o que vc iria pensar?????Blog falso, porô ou vírus!
Se alguém é culpado, não sou eu! Mas fiquei triste por vc! E vou AGORA lá no blog explicar a situação e colocar seu link!
Não fica triste por favor! Participa tb da nossa brincadeira! Mas se coloca na minha situação...já recebi um monte de mensagens falsas e vírus...então com mais as estórias que a gente sabe de internet, a gente fica desconfiada de tudo...Mais uma vez, vou me retratar lá no meu blog, pode ir lá ver!
Um beijo e espero que um dia demos boas risadas desse mal entendido e nos tornemos amigas. Tenho muitos defeitos Françoise, mas injusta não sou de jeito nenhum...vou lá te fazer justiça.
Grande beijo cor de rosa!

Glorinha


Foi exatamente neste dia que me apaixonei mais ainda por ela. Já posso dizer que dei sim, boas risadas deste meu furo. Eu não esperava que escrevesse post nenhum se desculpando em público, só o que queria era sua companhia amiga, sincera, sonhadora, justa, forte, apimentada, espivitada, e amorosa. Era assim que a via em seus textos, em cada palavra, em cada frase. E ela me acolheu. Não só me recebeu,como me ofereceu seus amigos que hoje fazem parte da minha vida.

Glorinha, minha amiga, desejo-lhe em dobro tudo que me ofereceu, que você encontre na realização do seu sonho, a paz que tanto busca em seu coração. Parabéns!!!! Seja muito feliz!!!! Te adoro!!!

Receba meu abraço e as flores ,


Lund na primavera, maio de 2010.

...com todo o meu carinho e admiração!!!!
Françoise

17 setembro, 2010

Perdão.


Olá,

Esta é a última semana da blogagem coletiva sobre Sentimentos proposta pela Glorinha. O tema de hoje? Perdão.

Nada fácil descrevê-lo, já que para consumá-lo nos lembramos de situações tristes já vividas por ter a "língua comprida demais" e por ser tão impulsiva como eu. Ou o contrário.

Perdoar para mim é uma "ato de amor". As vezes , magoados , dizemos da boca pra fora:

- Ok, ok, está perdoado(a)!!!!

ou

- Você me perdoa????

O pior, é que por muitas vezes ficamos remoendo o "tal" ocorrido por dias, transformando o perdão, então dito anteriormente, em inimizades, desencontros, separações, desavenças familiares e assim vai. O buraco é mais fundo e perdoar vai além de um aperto de mão ou de um sorriso amarelo estampado no rosto. Exige amor, entrega, esquecimento e humildade. Pedir perdão também.

Não sou a pessoa mais indicada para descrever sobre o assunto, depois de muito errar, tento colocar em prática tantos sentimentos e penso que ainda tenho muito o que aprender. Acredito não ser necessário exemplificar nenhum fato em particular, pois se já me conhecem um pouco , entendem que não consigo me expor com tranquilidade neste sentido. Além do mais, quem nunca perdoou ou pediu perdão, que atire a primeira pedra. Somos humanos. Erramos e aprendemos.



O mais importante é que hoje, posso dizer que não há comigo nenhuma situação pendente para o "perdão". Me sinto livre e em paz, sem amarras ou mágoas.





"Aquele que não pode perdoar destrói a ponte sobre a qual ele mesmo deve passar". George Herbert


À querida amiga Glorinha, agradeço por me proporcionar uma "autoterapia" em 8 semanas.
Abraços.



16 setembro, 2010

Ame com amor...


Houve um tempo
em que eu amava coisas.


As roupas bonitas,
de marcas,
os sapatos da moda,
os carros grandes e prateados,
as bolsas de couro.

Tempos em que me achei
"gente grande" e
tão pequena eu era.

Este tempo passou,
e como bem escreveu a Tati,
os "sapatos" já não me cabiam nos pés.

Fui ser mãe,
esposa,
mulher,
filha,
aluna,
professora,
amiga....

Compreendi
que o material degenera,
enferruja,
o dinheiro maltrata
e mata.

As roupas saem da moda,
nas bolsas não cabem o que tenho de melhor,
os "sapatos" apertam,
o mundo acaba,
o AMOR fica.

Estou muito longe
da perfeição,
mas do meu jeito,
amo e sou amada.

Não compro,
não gasto,
não troco,
mas posso sentí-lo.

Lindas rosas que ganhei da Beth.

Amo com “amor” .


Este texto sobre o AMOR, participa hoje da "Blogagem coletiva"
em homenagem aos 2 anos do blog "Meu Cantinho".

13 setembro, 2010

Outonos e primaveras...

Märtens Falad, Lund

Dia desses , no caminho para o ponto de ônibus, a Bia me perguntou o porquê das árvores mudarem de cor. Isto pois as ciclovias estão cobertas de folhas amarelas , vermelhas e castanhas. O que aprendi na escola sobre o outono quando pequena, nada tem a ver com este processo lindo que hoje posso apreciar por aqui. É incrivel como a mudança é visível, e não apenas do lado de fora.


Märtens Falad, Lund


Neste mesmo movimento, busco meu silêncio deixando que a própria estação encarregue-se de me fazer acolher o que aqui dentro "morre" em pequenas partes, com o ofício de florescer posteriormente em cores, anunciando que depois de "outonos" a vida sempre nos reserva "primaveras".


Märtens Falad, Lund

Assim espero. Até então ,vou cumprindo o meu, e o destino das estações do "tempo" e da "vida.

Abraços,
Françoise


08 setembro, 2010

Pequenas Maravilhas....

Desde que chegamos na Suécia, assistimos muitos filmes e desenhos com as meninas durante as tardes ou a noite quando marido chega e elas pedem, para fazermos sessão- pipoca. Posso dizer que o repertório precisou ser grande.

Esta tarde foi o dia do desenho : "A familia do futuro" da Disney. Mas esta não foi a primeira sessão deste filme, e sim a quinta, sexta ou sétima vez, sei lá. A história conta a vida de Lewis, um jovem inventor que embarca em uma viagem do tempo para encontrar sua família que ele nunca conheceu. Durante a história, ele descobre que o destino do futuro está em suas mãos e não pode salvá-lo sozinho. O personagem, conta com a ajuda da família Robinson que lhe mostra que sempre precisa "seguir em frente", sem nunca desistir de si mesmo.

Hoje, pela ....vez, o filme deixou em mim, uma mensagem de otimismo, confiança e vontade de caminhar adiante. Me fez lembrar de momentos únicos vividos aqui, junto com minha família. Vale a pena, por isso compartilho com vocês.

Abaixo, a linda música "Pequenas Maravilhas" de Rob Thomas, da trilha sonora do filme.


Deixa ir tire o peso dos seus ombros pra seguir
sem se lamentar dos tombos
Deixa entrar essa luz que te define
no final ficarão somente as recordaçoes

A vida se faz com essas horas
Pequenas maravilhas na voz do coração
mundos se vão mas essas horas breves horas ficarão

No lugar das angustias põe a luz que vai brilhar
envolver a tua vida
Tudo bem se pra mim voce se volta eu ja sei
sentimento prevalece no final

A vida se faz com essas horas
Pequenas maravilhas na voz do coração
mundos se vão mas essas horas breves horas ficarão

Tudo que eu errei as aguas vão levar
Pois eu agora sei que estou no meu lugar

A vida se faz com essas horas
Pequenas maravilhas na voz do coração
mundos se vão mas essas horas pequenas maravilhas ficarão




Abraços,
Françoise

05 setembro, 2010

Lá vai o trem...

Laurinha e seu olhinho curioso no trem ,
observando o lago congelado do lado de fora.
Uma das coisas que eu gostei muito de fazer, enquanto estive aqui e esqueci de registrar na minha lista do último post, foi viajar de trem. E isso eu sempre gostei , mesmo que naqueles metrôs de São Paulo em que mais parecemos uma sardinha enlatada. "Tem gosto pra tudo neste mundo ué, rs..."

Foi viajando sobre os trilhos que cheguei em Lund pela estação de Copenhagen, que conheci muitas cidades do sul da Suécia, da Dinamarca e Finlândia. Foi de trem que sonhei chegar a Itália e de lá partimos para Paris enfrentando uma longa madrugada de sono em uma de suas cabines.


Eurorail , Roma - Veneza


É magica a alegria de entrar no trem e sentir seu cheiro, ao mesmo tempo que ver paisagens cinematográficas passando como um filme pela janela. Além do mais, são confortáveis, rápidos e possuem uma organização de horários variados e eficientes. Precisamos ser extremamente pontuais pois se o horário está marcado às 7h36min, certamente minutos antes ele irá parar na estação e partir no horário indicado.

Estação Louvre-Rivoli, Paris:
...esculturas e obras de arte embaixo da terra.


Muitos deles possuem compartimentos separados e isolados para fumantes e não fumantes, carros-leito, vagões bar e restaurante. Se a viagem for durante o dia, podemos descansar, ouvir músicas, assistir um filme no laptop (todos possuem tomadas)ou fazer um lanche em sua poltrona (cena bastante comum). Mas se a viagem for noturna, é possível dormir em um trem , chegando a seu destino sem nos preocupar com o mau tempo e com o caminho certo a seguir, economizando ainda uma diária de hotel e aproveitando para descansar e ganhar tempo que seria perdido na viagem.


O que achei diferente e talvez estranho (só nós brasileiros podemos traduzir bem esta sensação), é que compramos os bilhetes , entramos e nos acomodamos nos trens e somente em seguida algum funcionário passará solicitando. É possível, como muitas vezes ocorreu conosco, que ninguém virá durante a viagem , verificar se o passageiro está ou não com os bilhetes. É como uma confiança estabelecida com seus usuários entendem?


Estar frequentemente em um trem é algo que sentirei muitas saudades. É triste escrever ,que mesmo o Brasil sendo tão extenso, não há nenhuma preocupação com a construção ou manutenção de malhas ferroviárias decentes que nos tragam melhores condições de transporte. Das estações de trem que já conheci no Brasil, só me ficam as lembranças feias de depósitos de lixos e do vandalismo que ali se instalam.


Contrastes que andamos:
Um bondinho e um TAV







Laurinha desenhando na poltrona de um dos tantos trens que viajamos...

SJ Intercity - Lund- Estocolmo






...lá vai o trem....

No dia 28 ele irá partir.

02 setembro, 2010

Sobre a felicidade de "vir e ir".


Olá amigos,

Em meu último post deixei aqui registrado o meu contentamento por estar na Suécia e também pelo meu retorno ao Brasil. Isto pois em 28 de setembro, estarei voltando com minhas pequenas enquanto marido terminará até dezembro o projeto proposto. Alteramos os planos antecipando significativamente nossa volta, já que os “ventos” seguiram por outra direção.

Quem me conhece sabe o quanto relutei para deixar o País, os que amo, o aconhego do meu lar, a estabilidade no emprego, para enfrentar o desconhecido. E não me arrependo em nada. Faria sim, tudo outra vez.

Olhando em retrospecto, consigo enxergar muitos aprendizados mesmo diante dos obstáculos vividos e também muitas situações externas e internas que me deixaram pra lá de FELIZ.



Então vamos lá,

O que eu aprendi?

O que realmente me fez feliz na Suécia?

  • Estar em família,
  • A companhia diária do marido no almoço e todas as noites conosco já que nunca tivemos isso desde que nos casamos (é pesquisador e professor universitário no Brasil trabalhando 3 períodos),
  • Dividir em família as preocupações, as alegrias, as expectativas e vitórias,
  • Cozinhar com tempo e disposição diariamente para marido e filhas ,
  • A proximidade e cumplicidade entre as minhas filhas,
  • Estamos mais unidos e fortalecidos enquanto casal e família,
  • Compreendo hoje que preciso investir no aprendizado de uma segunda língua antes que marido invente uma próxima mudança,
  • Que posso consumir menos e planejar mais,
  • Caminhar de bicicleta com o vento no rosto, sentindo-me literalmente livre e feliz,
  • Andar a pé pelas ciclovias de Lund comendo maçãs, ameixas e amoras fresquinhas colhidas pelo caminho,
  • Todos os lugares e pessoas que conheci,
  • Que posso sim, superar um grande medo como o de andar de navio,
  • Ver a Bia e a Laurinha cantarolando e caminhando de bike pelas ciclovias de Lund,
  • Fazer piquiniques na praia e na grama,
  • Ouvir o "silêncio" das ruas , dos lugares e dentro de mim,
  • Brincar de casinha, cabelereira e de mamãe e filhinha,
  • Não ter hora e data para cobranças e entregas burocráticas desvairadas,
  • Que posso e consigo muito mais do que penso em realizar,
  • Ter uma família e amigos que nos ama e nos completa, faz toda a diferença quando nos sentimos vulneráveis e frágeis,
  • Contemplar e respirar a natureza em cada uma de suas fases faz bem à saúde,
  • Sentir-me segura porém livre.

Esta lista , totalmente inacabada hoje, revela um pouco do que vivi neste pequeno espaço de tempo desta gelada Suécia. Me sinto feliz. Alguns planos foram interrompidos, mas outros já estão a caminho . É assim a vida. Entre as escolhas que fazemos, ganhamos e perdemos.



*Este post sobre a "Felicidade", participa da Blogagem coletiva proposta pela Glorinha do Café com Bolo.


Abraços,