29 julho, 2010

Sobre meus medos...


MEDOS?
Tenho sim!


...lobo mau??
só dos humanos, rs....



...de escuro?
Tenho! Rs, rs...




... casa mal assombrada?? Não, não!!
Já superei!



...noite de lua cheia?
Ah, capaz!

Há muitos tipos de medos e eu "sofro"com aqueles que alguns já superaram (ou não) e desde criança me assolam. Infelizmente! Sou pura emoção, afetividade, intuição e proteção. Valorizo a família e sinto grande necessidade de cuidar das pessoas que amo. Tá bom, tá bom! Meu medo????



Família

Sim, sinto medo até de escrever que posso "perder quem amo". Talvez o medo da morte se assim representar melhor. Sei que preciso superar isso pois não há como fugir e impedir que estas perdas aconteçam. A certeza da morte, ligada à incerteza da sua hora é fonte de angústia para mim. É também fato que procuro me "policiar" para que esta angústia não atrapalhe o meu viver e se isto acontece tento parar e rever. Procuro nem pensar nisto ao menos que algo aconteça no meio do caminho.


Minha família

Nestes meses de Suécia perdemos um amigo e um primo de maneira inesperada e é exatamente ai que os pensamentos afloram . Sou muito ligada a família e por mim teria todos sempre aos meus olhos. Mais ainda sei que não posso ter um pensamento egoísta uma vez que o amor é livre, é solto e diretamente ligado ao sentimento de liberdade, opção e escolha. Além do mais, o medo de "perder " é uma preocupação antecipada do futuro e eu quero mais é "ganhar". Quero viver satisfatoriamente aprendendo a cair para depois levantar, viver para aprender a "perder".Ganhar e desfrutar de todas as oportunidades que a vida HOJE me oferecer...

Meu avôzinho: Mozart

Este texto pertence a "Blogagem coletiva" sugerida por nossa querida
Glorinha de Lion do "Blog Café com bolo". A brincadeira será todas as sextas- feiras com o tema "sentimentos".
O de hoje: "Medos".

27 comentários:

Yoyo disse...

Minha linda amiga,
O medo de perder as pessoas que amo também me consome, muitas vezes. O medo de morrer também, pois acho que ainda tenho muito para viver, para amar, para ser feliz.
Beijo no core

Glorinha L de Lion disse...

Que lindo Fran...emocionante e ainda termina com essa fofura do seu vovôzinho...me arrepiei...vc disse tudo o que mais tememos:perder nossos mais queridos...não posso nem pensar nisso...ui! Beijos minha linda, bela participaçãO!

Manuela Freitas disse...

O medo das perdas é sempre o mais terrível e ele de vez enquanto surge mais perturbador, num grande ecran e nos faz suster a respiração.
Bonito o teu post.
Beijinhos,
Manú

Macá disse...

Olá Fran
Já tive, assim como você muito mais medo de morrer; principalmente quando meus filhos eram pequenos. Hoje que já são crescidos, só mudou o tipo de medo, como eles à noite de carro numa cidade violenta como São Paulo. Mas fazer o quê? Rezar.
Já perdi um irmão e meus pais, e até hoje sinto falta delas.
Os outros medos? Vamos enfrentando.
Adorei o seu post.
beijos

Dani dutch disse...

OI FRan, nossa, só de pensar nessa possibilidade de perder os meus familiares queridos dá um aperto no coração...não consigo nem imaginar a minha vida sem eles.
bjuss

Isadora disse...

Fran tenho medo também e pensar nessa possibilidade real me angustia, por isso não penso. Tento me convencer que é um processo natural (quando acontece da forma cronológica natural)e que não tenho como escapar, mas me reservo o direito de nem pensar nisso. Vivo um dia de cada vez e tento nào deixar que esse pensamento me assombre.
Que todos aqueles que nós amamos tenham muita proteção e saúde sempre.
Um grande beijo! Saudades!

Celia disse...

Quando se mora distante da familia, acho que esse medo de perder uma pessoa querida triplica. Medo de nao podermos está la quando isso acontecer. Eu penso nisso mas, ao mesmo tempo tento me policiar, pois estaria sofrendo por antecipacao. Nao é legal. Temos que viver o hoje, o agora. Pense nisso tambem. Bom findi. Bj

Astrid Annabelle disse...

Olá Françoise!
Sabe já fui muito medrosa quando pequena. A maturidade me fez enxergar outra realidade...a do não medo.
Viver o aqui e agora não se ocupando com coisas que não interessam pois não temos poder sobre elas. Minha família (avós, mãe,pai,irmão e marido) já não estão mais por aqui.
Eu sou a mais velha da família hoje...depois tem meus filhos e netos.
Quero viver e bem por muito tempo ainda já que ainda alimento vários sonhos.
Belo o seu post...lindas imagens!
Um beijo grande
Astrid Annabelle

Lúcia Soares disse...

Françoise, são medos naturais, acho que não há quem não os tenha.
Mas você sabe o que fazer: lutar para combatê-los.
Lembra que postei sobre a morte do filho da Cissa Guimarães? E falei que não sabia se ainda veria aquele sorriso escancarado dela, sua eterna alegria?
Ontem passou reportagem dela, o pai do rapaz, os irmãos, os amigos, fazendo uma homenagem dentro do túnel, no lugar onde ele foi atropelado.
Aí aparece a Cissa, ainda desfigurada de dor e diz algumas palavras e termina dizendo: "Vou voltar a sorrir. Vocês ainda vão me ver rir muito!"
Fiquei arrepiada. Mas o caminho é esse mesmo: superar a dor.
Beijos e bom fim de semana!

Meru Sâmi disse...

Eu tentei me manter fora do assunto: perda dos que se ama. Isso não trás só o medo, mas também a dor. Daí parecer que o medo cresce.
Pior é quando se perde sem perder.Perde porque não aceitam suas escolhas pessoais. Porque o amor das pessoas não vai além de seus pré- conceitos.
Fiz questão de comentar em todos os blogs participantes, porque por trás de cada postagem há um ser humano doando um pouquinho de si. A isso eu agradeço!
Hoje, vi muitas opiniões diferentes e ao mesmo tempo tão semelhantes nas raízes. Ou seja, as difarenças estão apenas na superfície, na forma de se expressar, pois na essência, é a mesma coisa.
Até chegar aqui, no seu blog, eu tentei mergulhar até uma profundidade segura para mim. Quando você falou de sua afetividade, meu monstro interior me desafiou." Venha, quero ver a sua força!" e fui. Bem ,penso que agora ele sabe, pois estou aqui postando esse comentário, inteirinha e pronta para outra!
Valeu, mesmo!

Beijos

pensandoemfamilia disse...

Este é um dos nossos maiores medos e sem remédios. Houve época em minha vida que era impensável pensar na more dos meus pais.Porém aconteceu. Sofri e sequi...
A vida é feita de ganhos e perdas e entre elas das pessoas amadas.
bjs

Tati Pastorello disse...

OI Fran, desculpe a demora. Seu blog não atualizou no meu... Umas coisas loucas tem acontecido... heheh
Adorei seu texto. Também perco o sono algumas noites com este mesmo medo. Não é infundado, mas é uma grande perda de energia e tempo. Tem épocas que controlo, tem épocas que não. Se um fica doentinho, já me apavoro... A simples menção a essa ideia também me desconcerta. Tem medos que ainda são difíceis de encarar!
Vamos aprender, amiga. Vamos sim!
Beijos.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Foi muito emocionante seu post. Eu me vi representado no seu texto e sentimentos. A gente tem muito medo mesmo de perder quem a gente ama...

Eu imagino o amor que vc sente pelo seu avozinho, da mesma maneira que sinto pelo meu... tenho muitas saudades dele...

Um bom fim de semana pra vc!

Lianara **Lia** disse...

Olá Françoise!

Vim agradecer o carinho da sua visita e me emocionei com seu post!

Difícil não pensar no medo de perder nossos amados. A gente nunca está preparada pra isso né?

Linda a sua família e seu avô, que gracinha, me emocionou!


Abraços
Lia

Blog Reticências...

Nilce disse...

Oi, Fran

Realmente o medo da perda é um dos que mais nos atribulam. Mexem com o emocional de verdade e é bem difícil de se trabalhar com esse tipo de medo.
Também sofro desse mal.
Muito bom seu texto.

Bjs no coração!

Nilce

Beth/Lilás disse...

Fran queridinha!
Eu também menina, que medo de perder um dos meus amores, aliás acho que este é o maior medo do ser humano desde que conhece o que é amor.
Lindas as fotos de sua família todos sorridentes, adoro pessoas que riem.
E seu avô que homem bonito!
Saudades querida.
beijos grandes cariocas

Socorro Melo disse...

Olá, Françoise!

Que bom estar aqui. É minha primeira visita, graças a essa blogagem coletiva.
Seu post está lindo, gostei das imagens, especialmente.
Quanto aos medos, confesso que estou impressionada, pois, descobri que tenho mais medos que pensava, kkk
Porém, meu medo maior é da morte mesmo, de perder os que amo, enfim... Vivo me policiando também, pois, isto nos tira o sossego. Já melhorei muito, graças a algumas leituras interessantes, de algumas doutrinas de iluminação. Acreditar na vida após a morte alivia bastante.

Um grande beijo pra você.

Socorro Melo

Denise disse...

Fran, não ter medo de ser feliz é uma grande conquista, minha querida...e isso vc prova um pouco a cada dia, sorvendo a vida num país "estranho", longe de tantos que ama, e que, mesmo não estando "aos teus olhos", vivos estão em vc...talvez seja parecido com as perdas que sofremos...tão longe dos olhos, e pra sempre no coração...

Lindo teu post, cheio de ternura e emoção - imagino que saudade tb.
Bjos, minha linda!!!

Marliborges disse...

Ai Fran, nós e os nossos medos!!! Não tem jeito mesmo, é da vida esses arrepios!! Adorei tua postagem, e esse final, arrasou!!
Bjsssssss

Tida disse...

Oi, Fran.
Muito pertinente os seus medos. Temos medo de perder a quem amamos. Mas faz parte da vida. E a vida é assim tão encantodora exatamente pelos mistérios que trás.
É uma pena, eu não estou participando desta blogagem, pois estou com um problema na coluna e quase nào fico no computador. Oh! É só como eu fico: com-puta-dor.
Bjs para você e as meninas.

Kamyla disse...

Fran, que texto lindo...
Medod e pereder quem amamos é impossível não ter...tb perdemos alguns amigos inesperadamente enquanto nossa estadia por aqui...
Muito obg por sua linda visita!!!
Ótima semana para vc.
Bjossssssssssssssssssss

Renata disse...

Minha querida Fran,

Antes de mais nada agradeço seu carinho no EternosPrazeres!

O post de baixo me fez lembrar da Holanda (onde estive a poucos dias), com seus enormes e modernos moinhos, ou aqueles pequenos e antigos, perdidos no meio dos campos e paisagens tão lindas...

Infelizmente acho que perdi essa blogagem coletiva, vou ver com a Glorinha se ainda dá tempo de entrar...mas os medos...quantos!!!! Nem sei por onde começar minha lista...o meu medo mais urgente é o de ficar longe dos meus filhos, que estão crescendo e tem ímpetos de bater asas pra longe de mim...

Te deixo um abraço, com votos de uma excelente semana!

Beth/Lilás disse...

Fran, queridona!
Tá tudo bem por aí?
Saudade das suas postagens, apareça!
bjs cariocas

Beth/Lilás disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiana disse...

Os medos... outro dia na classe do meu filho a professora fez um debate entre eles sobre os medos de cada um. E o que mais apareceu foi o da perda dos pais, crianças de 14 anos.
Interessante,né? É um medo que sempre nos ronda, mesmo que inconscientemente, o de perder quem amamos.Realmente, melhor nem pensar sobre isso!!
Adorei o final!!
Ahhhh...tenho outro medo...o das baratas!!!! E não e só nojo não..rsrs...é medo tambem!!!
Beijos,
Tati.

Isadora disse...

Oi Fran tô passando para deixar um grande beijo. Saudade!!!!

Marcela Orsini disse...

Oi querida, estou indo para a Noruega pela segunda vez e descobri seu blog. Sobre seu medo da morte, posso dizer que esconde o medo do desconhecido que todos nós temos. Porém a certeza da morte é benéfica pois assim podemos viver cada dia como se fosse o último, valorizando as pequenas coisas e tratando bem aos que estão ao nosso redor. O mistério da morte é algo que só conheceremos quando chegar nossa vez, e por isso, descansemos em paz agradecendo todos os dias por mais um dia de vida! PAZ!